sexta-feira, 29 de junho de 2012

A atual propaganda política no mundo é tema do Intermídias 2012

O 2° Congresso e Feira Internacional de Comunicação, Informação e Marketing (INTERMÍDIAS) realizou diversas atividades nos dias 28 e 29 de junho, no Centro de Eventos da UFG. O evento tem por objetivo oportunizar, nos diversos segmentos da comunicação, uma integração entre o universo acadêmico com o mercado de trabalho.

Pelo espaço circulam acadêmicos de cursos como: publicidade, jornalismo, relações públicas e biblioteconomia; como também profissionais inseridos nas mais distintas mídias. Cada um buscando o que de fato acredita ser mais interessante. No meu caso fui atrás de novas mídias: redes sociais.

A palestra do catedrático emérito da Universitat Autònoma de Barcelona, Mario Herreros Arconada foi uma volta ao passado com os pés fincados no chão. Ele, que também é considerado uma das maiores referencias europeias em propaganda política e autor de dois best-sellers – Teoria e Técnica de Propaganda Eleitoral e Fundamentos da Comunicação Publicitária, mesmo com a ajuda de um tradutor deixou evidente sua simpatia.

Mario Herreros Arconada afirmou que estamos vivenciando uma época em que a informação se dá em tempo real. Onde a publicidade e a internet abrem um novo horizonte para sua atividade. Ainda mais com as redes sociais, onde os usuários buscam contactar outras pessoas na busca de compartilhar conhecimentos. “É claro que eles não buscam publicidade. Mas, se ao final a mensagem chegar como planejado pelo profissional de comunicação. Isso significa que a persuasão funcionou”, concluiu.

O começo das mídias sociais nas eleições se deu na campanha a governo de Barack Obama, nos Estados Unidos. Passados cinco anos, as redes sociais entraram por completo nas campanhas eleitorais dos políticos. Mario Herreros Arconada fez um alerta de que o uso das redes em campanhas eleitorais não significa que esses candidatos ganhem. Afinal, é preciso planejar.